Acupuntura em Mulheres Grávidas tem Efeitos Atua Desde Náuseas Até em Preparar o Bebê Para o Parto

A importância das práticas de integração para uma gravidez e parto positivos é cada vez mais debatida.

Oficialmente reconhecida em 2017 na lista de tratamentos oferecidos pelo SUS (embora seja utilizada desde a década de 1980), a acupuntura é um deles e é utilizada por muitas mulheres, pois substitui por exemplo, o uso de anti-inflamatórios – proibidos durante a gravidez.

Durante a sessão, as agulhas estimulam as terminações nervosas que existem na pele e nos tecidos subjacentes, e as “mensagens” geradas por esses estímulos se propagam através dos nervos periféricos até o sistema nervoso central, onde vários produtos químicos chamados neurotransmissores são liberados, analgésico em mulheres, atuando como anti-inflamatório, relaxante muscular ou sedativo.

“As agulhas também podem atuar nos sistemas endócrino e imunológico e como regulador emocional”, explica Roberta Girelli, médica especializada em acupuntura. Relata resultados positivos em casos de dor abdominal no início da gravidez, náuseas, vômitos, depressão, ansiedade, insônia e prisão de ventre.

“Durante as primeiras sessões percebi uma nítida melhora na ansiedade e mais para o fim, fiz sessões para a Olívia virar [estava pélvica] e deu certo [ficou cefálica]”, conta Julia de Santi, 36, que conseguiu ter a filha de parto normal após a cesárea do primeiro filho.

Ela conta que após a bolsa romper chamou a acupunturista em casa e a ação das agulhas ajudaram a engrenar o parto.

Mãe de dois meninos, Viviane Guizelini, também buscou ajuda na primeira gestação para diminuir os enjoos, problemas musculares, ansiedade e alergias. “Tratei rinite alérgica e o resultados era imediato, ao ponto de entrar na sessão com coriza e sair sem desconforto e sem o nariz estar escorrendo”, lembra. Na segunda gravidez, Viviane não conseguiu fazer sessões de acupuntura e notou mais incômodos durante a gestação.

“O mal-estar era mais evidente. Tive espasmos de treinamento na semana 26 e também tive muita pressão no períneo e dores nas costas. Era uma mistura queimada com algo “de partir o coração” por dentro. A acupuntura foi amplamente negligenciada.

Dada a história de muitas mães, dores de cabeça, dor lombar e síndrome do túnel do carpo também podem ser tratadas com agulhas.

A liberação dessas substâncias endógenas (autoproduzidas pelo organismo) é uma opção segura em todas as fases da gravidez, mas deve ser realizada por profissionais qualificados e aprovados pelos médicos que acompanham a mulher durante o pré-natal.

Mulheres grávidas com distúrbios hemorrágicos ou anticoagulantes precisam de cuidados e atenção especiais para o que os livros de medicina tradicional chinesa chamam de “pontos proibidos”, já que alguns têm um efeito estimulante nas contrações uterinas.

 

“A acupuntura, como qualquer tratamento, não promete ser exclusiva. Pelo contrário, a colaboração do paciente é fundamental para o sucesso de qualquer opção de tratamento ”, destacou Silvana Maria Fernandes, acupunturista do Centro Hospitalar Pro Matre de Medicina Integrativa e Maternidade.

Silvana afirma que ajustar os hábitos alimentares, equilibrar a ingestão hídrica, dormir bem e praticar exercícios físicos suficientes para cada fase da gravidez complementam o tratamento. “O tratamento ou equilíbrio das comorbidades, de preferência antes da gravidez, e o manejo das condições emocionais também são aspectos relevantes abordados na consulta inicial, durante a qual deve ser feito um retorno. física e mental ”, explica ele.

A literatura também apresenta bons resultados da acupuntura no período pós-parto, nos distúrbios da lactação (redução das glândulas mamárias) e na depressão.

Compartilhe este post:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Este blog utiliza cookies para garantir uma melhor experiência. Se você continuar assumiremos que você está satisfeito com ele.